Tribunal atende a pedido do MPT e suspende retomada de atendimento presencial ao público no município de Goioerê-PR

(Curitiba, 16/4/2020) O Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região decidiu liminarmente, nesta terça-feira (14/4), que o município de Goioerê-PR deve suspender o retorno do trabalho presencial de atendimento ao público, a fim de se garantir a proteção à vida, à saúde e à incolumidade física e emocional de todos os cidadãos. A decisão abrange tanto os servidores estatutários como celetistas e prestadores de serviço, ressalvados os serviços públicos considerados essenciais.

MPT em Campo Mourão abre inscrições para entidades interessadas em receber recursos provenientes de multas

(Curitiba, 27/04/2018) O Ministério Público do Trabalho no município de Campo Mourão publicou edital, nesta quinta-feira (26/04), abrindo inscrições para órgãos públicos e entidades privadas sem fins lucrativos interessadas em compor cadastro para eventual recebimentode recursos provenientes de multas de procedimentos e ações judiciais conduzidos pelo MPT. Os pedidos de inscrição deverão ser apresentados por meio de protocolo administrativo no site https://protocoloadministrativo.mpt.mp.br/login.

Servidores Lotados na PTM Campo Mourão

NomeCargo
Ana Paula Schroder Pereira ANALISTA MPU/PERÍCIA/ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO
Erik Iwamoto ANALISTA MPU/APOIO JURÍDICO/DIREITO
Fabyelle Christinne Pucci do Nascimento ANALISTA MPU/APOIO JURÍDICO/DIREITO
Liana Remuzzi Ficagna TÉCNICO MPU/APOIO TÉC. ADM./ADMINISTRAÇÃO
Rosiane Pereira TÉCNICO MPU/APOIO TÉC. ADM./ADMINISTRAÇÃO
Thiago Lisboa de Carvalho TÉCNICO MPU/APOIO TÉC. ADM./ADMINISTRAÇÃO
Thiago Rodolfo Pires ANALISTA MPU/APOIO JURÍDICO/DIREITO
Valdelice Fátima de Andrade Pepinelli CEDIDO

Sobre a PTM de Campo Mourão

 

Horário de atendimento

Segunda à sexta-feira - 10h às 16h00.

 

Endereço

Av. José Custódio de Oliveira, 2305
Centro - Campo Mourão - PR
CEP 87300-020

 

Contato

Telefones: (44) 3599-0800 / (44) 98401-3592 
Correio eletrônico: prt09.dircmp@mpt.mp.br

Mapa da localização

 

Segundo Cristiane, “A LYx já responde a mais de 200 ações trabalhistas, como responsável subsidiária, para pagamento de salários e verbas rescisórias impagas de trabalhadores aliciados, cujos contratantes fajutos tiveram a própria remuneração retida pela própria Lyx e em razão disso desaparecem. Não é surpresa. A construtora sabia que os trabalhadores ficariam desprotegidos porque reteve pagamentos do “gato”. Não são vítimas.

  • 1
  • 2